É preciso ser responsável ao produzir e consumir

O tema desta semana para a série de textos sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 é “consumo e produção responsáveis”, o décimo-segundo ODS.


O que é o ODS 12 e qual a sua importância?


A principal meta desse objetivo é assegurar que tanto no quesito da produção como do consumo global os padrões sejam revistos, visando que se tornem mais sustentáveis. Sua importância está no fato de que, dessa forma, será possível assegurar o manejo responsável de recursos, além de melhorias de infraestrutura, eficiência energética, fornecimento de serviços básicos, oferta de trabalho decente e, consequentemente, expressivo aumento na qualidade da população mundial como um todo.


ODS 12 / Fonte da imagem: https://sc.movimentoods.org.br/

ODS 12 no mundo


Produção e consumo dos mais variados gêneros são uma fonte motriz da economia global. Entretanto, ignorar a relevância desses dois fatores precisarem ser realizados de maneira responsável e sustentável levou o planeta a índices altíssimos de degradação ambiental, prejudicando inclusive direitos básicos como saúde e moradia.

O progresso econômico e social adquirido mediante o descaso com o meio ambiente deve se traduzir em consequências sérias a curto e longo prazo, muitas delas irreversíveis. Se recursos tão elementares (tal como a água) continuarem a serem usados inadvertidamente por indústrias, produtores e até mesmo no âmbito doméstico, não existirá possibilidade de recuperação destes. No ritmo atual de crescimento da produção e consumo será necessário em 2050 o equivalente a três planetas Terra para proporcionar os recursos naturais que possibilitam manter os estilos de vida contemporâneos.

Para atingir o desejado Objetivo 12 de consumo e produção responsáveis é preciso diminuir a pegada ecológica. Medidas de promoção da eficiência do uso de recursos energéticos e naturais, da infraestrutura sustentável, da transparência e a responsabilização dos atores consumidores de recursos naturais se mostram essenciais.

Ressalta-se que o consumidor tem um papel de destaque na mudança dos padrões citados. Optar por empresas transparentes e sustentáveis, incentivar produções locais, rever o consumo desenfreado e o descarte de produtos são algumas das atitudes que precisam ser incorporadas pela população para que as metas da Agenda 2030 sejam bem sucedidas.


ODS 12 no Brasil


Infelizmente é preciso dizer que o Brasil não apresenta grandes avanços no cenário de consumo e produção responsáveis. O Relatório Luz de 2020 aponta que o Brasil sequer vem consolidando dados sobre a geração de resíduos, redução de poluentes, lixo e reciclagem. Nesse sentido, a falta de dados sistematizados impede que uma análise mais profunda seja realizada para direcionar políticas públicas para sanar os problemas nacionais e prejudica o cumprimento da Agenda 2030.

O documento também frisa que o governo tem agido na contramão do esperado: ao invés de desincentivar o consumo de combustíveis fósseis, as restrições de controle dos poluentes foram afrouxadas. De acordo com o Instituto de Estudos Socioeconômicos (INESC), em 2018 o governo federal concedeu R$ 85,1 bilhões em subsídios à produção e consumo de combustíveis fósseis.

Sem contar o modelo agroindustrial exportador de commodities que não é responsável e muito menos sustentável. O aumento das queimadas na Amazônia e no Cerrado, a liberação de 593 agrotóxicos em um ano e meio, e os crimes ambientais ocorridos em Mariana (2015) e Brumadinho (2019) evidenciam a indiferença do Brasil diante desse Objetivo tão importante.

Além disso, no ramo empresarial a produção sustentável é tratada como marketing social e não um padrão ao qual as empresas devem se ajustar. A razão disso está na falta de leis que regulem as exigências de sustentabilidade, algo que já deveria ter sido implantado há tempos.


O consumo é movido pela sedução e pela busca da felicidade, segundo Gilles Lipovetsky.

Principais metas do ODS 12:


  • Reduzir pela metade o desperdício de alimentos nas vendas do varejo e nas cadeias produtivas e de abastecimento.

  • Reduzir a geração de resíduos através de atividades de prevenção, redução, reciclagem e reutilização.

  • Alcançar a gestão sustentável e o uso eficiente dos recursos naturais.

  • Alcançar a gestão ecologicamente racional dos produtos químicos e de todos os resíduos ao longo de todo o seu ciclo de vida.

  • Promover práticas sustentáveis de compras públicas.

  • Incentivar as empresas, especialmente as grandes, a adotar práticas sustentáveis e a integrar informações de sustentabilidade em seu ciclo de apresentação de relatórios.

  • Apoiar os países em desenvolvimento para que fortaleçam suas capacidades científicas e tecnológicas a fim de avançarem rumo a padrões de consumo e produção mais sustentáveis.

  • Desenvolver um turismo sustentável, que crie emprego e promova a cultura e os produtos locais.

  • Racionalizar os subsídios dados aos combustíveis fósseis.


Fica evidente que as medidas do governo brasileiro são insuficientes para o alcance do ODS 12. Portanto, cabe às empresas e consumidores buscarem transformar essa realidade gradualmente. Pequenas ações hoje nos trarão um futuro melhor!

Dados coletados da ONU, Relatório Luz 2020, Instituto de Estudos Socioeconômicos (INESC), Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).


Gilles Lipovetsky é um escritor e filósofo francês e grande parte da sua obra está disponível na língua portuguesa.


Texto criado e desenvolvido exclusivamente pela Letícia Chieppe (@lele_chieppe) para a Souy Eco-Friendly.


•••

comércio justo, colaborativo e sustentável

INFORMAÇÕES

FORMAS DE PAGAMENTO

O nome Souy® e seu logo são marcas registradas da Souy Serviços de Marketing Ltda. 

© Copyright 2014-2021 | Souy Serviços de Marketing Ltda. | Todos os direitos reservados. ®

SOBRE A SOUY

souy-eco-friendly-site-seguro.png
ANDROID.png

Souy Serviços de Marketing Ltda. CNPJ 33.943.306/0001-30